Diferentemente da socialista Lídice da Mata, o senador Otto Alencar (PSD) se mostrou a favor da renúncia do presidente Michel Temer (MDB), e sugeriu que, se ocorrer a queda do emedebista, a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, faça a transição até eleger um novo chefe do Palácio do Planalto.
Em entrevista ao Metro1, Otto ressaltou que os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Rodrigo Maia (DEM) e Eunício Oliveira (MDB), não desejam ocupar o posto, já que são candidatos na eleição deste ano.
“Eu acho que o presidente perdeu completamente as condições de governar o Brasil, já há muito tempo desde a denúncia da JBS. Mostrou agora [com o protesto dos caminhoneiros] fragilidade. A única coisa que eles levam a sério são as denúncias para se defender. Então, quem defende a saída dele é povo, os caminhoneiros, e estou apenas dizendo que, pela sequência do diz a lei, Cármen Lúcia deve assumir”, afirmou.
Segundo Otto, a medida deve ser adotada também para evitar uma intervenção militar no país. “Deveria ter uma união com os homens do Senado e da Câmara, que têm patriotismo, para colocar alguém para fazer uma transição. Até, para não ter um golpe, porque a crise vai continuar”, frisou.
Assim como o ex-governador Jaques Wagner (PT), Otto acredita que há uma tentativa do governo federal de “destruir” a Petrobras para vendê-la a grupos estrangeiros. Ontem (28), o petista chegou a defender que se lance um movimento semelhante ao de 1950, com o lema “O Petróleo é nosso”.
“[A crise do país] é uma consequência do desastre da política de preço da Petrobras, que eu, sinceramente, só consigo enxergar um motivo para isso. É a destruição da companhia para a venda. [...] Pior do que corrupção é entrega do nosso patrimônio para os gringos”, afirmou o petista.

Postar um comentário

FBbox/https://www.facebook.com/JaguarariNoticias1/
Tecnologia do Blogger.