O colapso nas finanças da prefeitura de Jaguarari têm sido a causa de inúmeras demissões, cortes de gratificações e até mesmo a publicação de um Decreto inconstitucional publicado pelo prefeito Everton Rocha (PSDB), que reduziu o próprio salário, de secretários e do vice-prefeito. Com vários contratados de assessorias e empresas, sem licitação, o que fere a legislação, a administração do prefeito Rocha, segundo uma auditoria na folha de pagamento de funcionários temporários, efetivos e comissionados, tem causado um rombo nas contas do município, conforme irregularidades detectadas e registradas no relatório. O Jaguarari Online teve acesso, com exclusividade, a documentos que comprovam que a atual administração é descontrolada com o dinheiro público e/ou sua equipe não possui preparo suficiente para gerir a folha de pagamento. A auditoria, dentre outros absurdos, identificou funcionários que receberam salários duas vezes no mesmo mês, funcionária que adiantou 100% do 13º fora do prazo, funcionários que receberam sem trabalhar, professores recebendo por 110 horas/aula em uma única semana (algo impossível de ser trabalhado), auxiliares de serviços gerais com vencimentos superiores à função, pagamento de insalubridade acima do previsto em lei, médico e funcionários da saúde recebendo mesmo estando afastados das funções, contratados pra uma mesma atividade com proventos diferentes entre si. Fora estes, há uma lista imensa de atos ilegais cometidos pela gestão do prefeito Everton Rocha, aponta o relatório da auditoria.
Estes fatos, além de problemas judiciais, caso haja denúncias no Ministério Público, poderão ser motivos de rejeição das contas do gestor pelo TCM – Tribunal de Contas dos Municípios, imputação de multa e devolução aos cofres públicos dos valores pagos indevidamente.


Jaguarari Online 

Postar um comentário

FBbox/https://www.facebook.com/JaguarariNoticias1/
Tecnologia do Blogger.