Vídeo: Enfermeiro é acusado de soltar foguetes para comemorar morte de prefeito por coronavírus -->

Iklan Semua Halaman

Vídeo: Enfermeiro é acusado de soltar foguetes para comemorar morte de prefeito por coronavírus

Valtenei Santos
9 de junho de 2020
Alberto Rocha (Foto reprodução)
O vídeo de um enfermeiro que circula nas redes sociais, tem causado revolta na população de Santa Quitéria. Nas imagens, Higo Cunha aparece festejando com foguetes a morte do prefeito Alberto Rocha, que faleceu em decorrência do novo coronavírus, no último sábado (6) em São Luís.
No vídeo, compartilhado em grupos de WhatsApp, o enfermeiro diz que aquela era a homenagem à morte de Alberto Rocha, mencionando ainda termos como “não me pagou”, “ladrão”, “vagabundo” e “vou voltar pro hospital”. A filmagem foi feita por um morador do município, sem que o enfermeiro percebesse.
Segundo informações, o enfermeiro é natural de Santa Quitéria, e exercia a profissão no hospital da cidade, inclusive como coordenador. Acredita-se que o fato dele ter saído do emprego tenha motivado esse ato considerado absurdo, desumano e inaceitável.


O Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) informou por meio de nota que lamenta a atitude do profissional e tomará medidas para que atitudes como essa não se repitam.
Confira a nota na íntegra
A Junta Interventora do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) no Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) tomou conhecimento de um vídeo que circula nas redes sociais de um profissional de enfermagem que estaria “comemorando” a morte do ex-prefeito do município de Santa Quitéria do Maranhão, Alberto Moreira Rocha (PDT), que faleceu nesse sábado, dia 6, por complicações causadas pela Covid-19. Sobre o caso, o Coren-MA lamenta profundamente a conduta desse profissional e a repudia publicamente por entender que tal atitude é desprezível e totalmente contrária aos valores éticos e morais que norteiam a Enfermagem.
Cabe aos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem o cuidado e o respeito com a vida humana. Essa é uma premissa básica que se aprende desde os primeiros anos da escola de formação, seja ela a faculdade ou o curso técnico. Aquele que se diz profissional de enfermagem e não compreendeu esse princípio estará prestando um desserviço para si mesmo e para toda a sociedade.
É preciso entender que a liberdade de expressão não é absoluta e, por isso, tem limites. O regime democrático do país garante às pessoas o direito de se expressarem da forma como bem entenderem, desde que não promovam calúnias, injúrias ou difamações contra o próximo.
Dessa forma, o Coren-MA tomará as medidas necessárias para evitar que atitudes como essa realizada pelo profissional de enfermagem, de desrespeito ao próximo, inclusive aos mortos, fiquem impunes. (Fonte: Blog Gilberto Lima)