Jaguarari Noticias quarta-feira, agosto 24, 2016


O Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação de João Santana, ex-marqueteiro do PT, e da esposa e sócia dele, Mônica Moura. O documento, assinado por 11 procuradores e divulgado no sistema da Justiça Federal junto aos processos referentes à 23ª fase da operação Lava Jato, atesta que é falsa a afirmação de que os recursos recebidos por empresas do casal em contas na Suíça eram provenientes de Caixa 2 da campanha da presidente Dilma Roussef em 2010.

 
De acordo com os procuradores, a versão de caixa 2 teria sido uma “clara tentativa de afastar o dolo de sua conduta no recebimento de recursos de corrupção”. No depoimento dado em fevereiro deste ano, o casal havia afirmado que os recursos eram provenientes de campanha em Angola. A versão foi “desmentida” pelo próprio publicitário no segundo depoimento, informa o Uol.
Os procuradores da Lava Jato afirmam não acreditar que a motivação para encobrir a verdade no primeiro depoimento fosse para poupar a presidente afastada Dilma Rousseff, conforme foi alegado pelos réus.
 
Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações em primeira instância da força-tarefa, Mônica afirmou que os R$ 4,5 milhões recebidos por sua empresa em uma conta na Suíça através do empresário Zwi Skornicki tinham como objetivo a quitação de parte da dívida da campanha da presidente Dilma de 2010 com os publicitários. Ela disse, ainda, que os recursos não foram registrados na Justiça Eleitoral e nem declarados por sua empresa. “Era Caixa 2 mesmo”, admitiu. 









Fonte: bocão

Postar um comentário

FBbox/https://www.facebook.com/JaguarariNoticias1/
Tecnologia do Blogger.